home‎ > ‎Carta ao Leitor‎ > ‎

ed85


Ao Leitor
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Evolução, Da Vinci e o Novo Ano


O mundo é movido por mudanças. Os movimentos de rotação e translação, o desenvolvimento natural e a interferência humana são alguns dos fatores que contribuem para a não estagnação do planeta. Novas possibilidades de inovação surgem a todo momento, e a realidade, assim como a conhecemos, só é possível graças às inovações do passado. Energia elétrica, telefonia, cultura e processamento de dados são bons exemplos da constante necessidade de mudança e de evolução que vêm transformando o mundo ao longo da história.

Em meados do século XV, nasceu na Itália, uma das maiores mentes que a humanidade conheceu. Leonardo da Vinci, famoso pintor renascentista, é o representante da constante necessidade de evolução. De pintor a engenheiro, engana-se quem acha que suas contribuições se limitam à cultura e à engenharia. Da Vinci se aventurou com propriedade por praticamente todos os campos do conhecimento, em uma época em que a cultura pela experimentação não tinha sido nem definida. Ele foi o homem que vislumbrou a necessidade de mudança antes da própria necessidade surgir.

Tempos depois, ainda na época em que a genialidade de Da Vinci não havia sido compreendida, a humanidade presenciou um grande exemplo de evolução. No final do século XVIII, quando a eletricidade revelava-se como um novo campo de pesquisa, o telégrafo permitiu transmitir mensagens quase instantaneamente por meio de impulsos elétricos. Pouco mais de meio século depois, muitos países já estavam conectados por meio de enlaces terrestres e transatlânticos de cabos coaxiais. E com as Equações de Maxwell, as telecomunicações têm evoluído a passos largos e transformado a forma de comunicação constantemente.

Nas duas últimas décadas do século XIX, no auge do desenvolvimento da eletricidade, o mundo passou por outra importante mudança que levou energia elétrica aos quatro cantos. Conhecida como Batalha das Correntes, tratou-se de um debate de interesses sobre qual seria a tecnologia ideal para fornecer eletricidade: a corrente contínua defendida por Thomas Edison ou a corrente alternada defendida por Nikola Tesla e George Westinghouse.

Até esse ponto da história, grandes mentes e grandes evoluções provaram que a capacidade humana de inovar é surpreendente. Para este século, o avanço tecnológico tem tomado dimensões e velocidade gigantescas, interferindo e transformando a realidade a cada minuto. A incrível redução dos circuitos eletrônicos tornou possível a produção de processadores microscópicos que obedecem a efeitos quânticos. A previsão é que em poucos anos usuários comuns de computadores realizem suas atividades básicas ou até mesmo milhões de tarefas simultaneamente, utilizando computadores quânticos. Esses computadores não revolucionarão apenas o conceito de tecnologia, como também nosso modo de ver o cosmos.

O mundo é movido por mudanças. Agora essa afirmativa é tão verdadeira quanto lógica. Por esse motivo é tema da primeira edição do ano, um ano que promete evolução. Com batalha das correntes, trajetória das telecomunicações, Leonardo da Vinci, computadores quânticos e uma matéria exclusiva sobre a nova entidade do curso de Engenharia Elétrica da Universidade Federal de Campina Grande, a Empresa Júnior Voltech, apresentamos a 85ª edição do Jornal PET-Elétrica. E, com muito prazer, nesse primeiro momento juntos, caro leitor, anunciamos a primeira inovação de 2017: a Revista PET-Elétrica. Uma nova seção do Jornal dedicada à publicação de trabalhos técnicos. Como de costume, convido-os a visitar as seções culturais que contêm várias dicas de entretenimento para aproveitar as últimas semanas de férias. Por fim, lembre-se: evolução, inovação e mudança são as chaves para manter o nosso mundo em movimento.

Boa leitura a todos!


Wislayne Dayanne Pereira da Silva

Editora-Chefe

Equipe Editorial do Jornal PET-Elétrica



   






















Comments