Dicas‎ > ‎

Ed94

                                                                                                                                                                                                                                                        

DICAS



Dicas de Livros Dicas de Filmes Dica de Música Dica de Série

 

Dicas de Livros




Life 3.0: Being Human in the Age of Artificial Intelligence



Em toda a história humana é notável as mudanças causadas por grandes avanços tecnológicos. No século XIX a eletricidade mudou toda a dinâmica urbana. Já no século XX o rádio e a televisão mudaram a forma de comunicação e de propaganda, permitindo a ascensão de regimes ditatoriais como o nazismo e o comunismo soviético. Nos últimos anos a internet foi responsável por modificar toda a dinâmica social e as relações interpessoais. Para os próximos anos, os avanços serão mais profundos e pensar em Inteligência Artificial (IA) é rever a nossa própria posição como seres humanos. Nesse contexto foi lançado o livro Life 3.0: Being Human in the Age of Artificial Intelligence de Max Tegmark, que, longe de toda ficção científica, analisa, com seriedade e sensatez, temas bastante delicados que vêm sendo negligenciados.

Tengmark, professor de física no MIT, surgiu nos últimos anos como uma grande voz nas pesquisas sobre segurança na utilização das IAs. Seu livro é baseado em outra obra, Superintelligence, do filósofo suíço Nick Bostrom, que descreve como o surgimento de uma superinteligência poderia provocar consequências desastrosas para a humanidade. Escrito em linguagem acessível, Life 3.0 fornece ao leitor um guia filosófico e político para as várias promessas e realidades da revolução provocada pela utilização das IAs. Esclarecendo os conceitos-chave e desmistificando o que lelé considera ser erros comuns derivados principalmente de obras de ficção, como robôs malvados e “exterminadores”, o livro propõe o debate sério sobre temas cada vez mais atuais e realmente vitais do ponto de vista ético sobre as aplicações das novas tecnologias.

Segundo o cosmólogo, o principal problema das IAs não é per se a maldade que ela poderá adquirir, mas sim a grande competência que essa tecnologia poderá possuir. As IAs serão extremamente boas em cumprir seus objetivos e segundo as palavras do autor “é importante que eles estejam alinhados com os nossos”. O livro traz à tona temas como a segurança da informação e do perfil de cada indivíduo, já que uma superinteligência seria capaz de traçar perfis e tendências psicológicas que poderiam afetar e prever decisões a nível nacional, como por exemplo resultados de eleições e tendências de mercado. Com algoritmos sofisticados e o avanço do big data, instituições como a justiça, o livre mercado e os direitos individuais se tornarão obsoletas e tudo isso sem a necessidade de um “exterminador”.

Com a sobriedade exigida pelo tema, o suíço Max Tengmark nos recorda que cada nova tecnologia pode provocar mudanças severas no estilo de vida de toda uma sociedade e que talvez a revolução da inteligência artificial possa provocar mudanças ainda mais severas, pois pela primeira vez nossa humanidade pode ser afetada e revista. Se não passarmos a tratar esses temas com a seriedade que merecem, pode ser que diversos problemas graves surjam em um futuro não tão distante.

Ficha Técnica
Autor: Max Tengmark
Editora: Knopf
Edição:
Páginas: 384
Gênero: Ciência e filosofia
País de Origem: Estados Unidos

José Iuri Barbosa de Brito





O Chamado do Cuco




J. K. Rowling, escritora de todos os livros da saga Harry Potter, utiliza sua versatilidade ao criar o pseudônimo de Robert Galbraith para narrar as histórias de um novo detetive. Comoran Strike é um herói de guerra que perdeu uma de suas pernas em um combate no Afeganistão e decidiu se aposentar do exército para iniciar uma vida de detetive particular. Strike possui uma vida difícil, após anos de uma relação conturbada, ele rompe com sua noiva e se muda para o seu escritório, entretanto corre o risco de ser despejado do seu local de trabalho por falta de pagamento.

O detetive não possui muita perspectiva sobre o próprio ofício, justamente pelo momento complicado no qual sua vida se encontra e também pela ausência de confiança em si mesmo. Todavia, uma agência de estagiários envia uma jovem secretária para dar assistência no escritório de Strike. Robbin Ellacott é uma jovem noiva muito esperta e inteligente que desde pequena possuía o desejo de trabalhar solucionando crimes, como os grandes detetives do cinema. Apesar da falta de recursos financeiros para manter a estagiária no seu gabinete, Strike decide não demitir Robbin.

O enredo do livro acontece em torno da morte da modelo mundialmente famosa Luna Laundry. Todas as evidências apontam para um provável suicídio, no entanto Strike é contratado pelo irmão da vítima para encontrar provas de que a modelo foi assassinada. Por ser famosa, havia muita informação sobre sua rotina e personalidade, ainda mais pelo seu transtorno bipolar e por ser adotada. Luna era uma mulher negra dentro de uma família de pessoas brancas, a sua vida familiar nunca foi tratada com normalidade, mas apesar do seu histórico mental ser um pouco controverso, o seu irmão não acredita na hipótese de suicídio, diferentemente da polícia.

O chamado do Cuco consegue manter o tom de mistério durante toda a trama, não fugindo muito das obras com essa mesma temática policial, mas com um toque especial que só a J. K. Rowling consegue acrescentar. O livro é altamente descritivo e consegue situar o leitor em uma Londres grandiosa, não deixando passar nenhum detalhe. Rowling nos faz quebrar a cabeça com os segredos do caso e também deixa um desejo de ansiedade para a continuação das histórias do detetive Comoran Strike.

Ficha Técnica
Autor: Robert Gallbraith
Editora: Rocco
Edição:
Páginas: 448
Gênero: Suspense
País de Origem: Reino Unido

Saulo Afonso Sobreira Lima


Dicas de Filmes



I Origins



I Origins, traduzido para o português como “O Universo no Olhar”, é um filme de drama e ficção, dirigido por Mike Cahill e lançado em 2014 no Festival Sundance de Cinema, evento que acontece em Utah, Estados Unidos, e tem como objetivo ajudar novos cineastas.

A trama tem como atores principais Michael Pitt, no papel do Dr. Ian Gray, e Astrid Berges-Frisbey como Sofi. Ian é um jovem cientista fascinado pelos olhos e passa sua vida pesquisando sobre suas origens. Ele não acredita em Deus e deseja provar que o desenvolvimento do olho humano é um processo da evolução natural, não sendo necessário um Deus, intitulado por ele como um “designer inteligente”, para criá-lo.
Perto de alcançar resultados significantes em suas pesquisas, Dr. Ian conhece Sofi, uma garota de personalidade diferente da dele. Eles se apaixonam, mas no dia em que pretendiam se casar, Sofi morre de maneira trágica. Após se passar alguns anos, Dr. Ian, já casado com sua antiga assistente Karen (Brit Marling), tem um filho, o qual possui os mesmos olhos de uma outra pessoa que já tinha morrido, mas estava registrada no sistema. Ele é, a partir de então, objeto de estudos que relacionam o comportamento de pessoas com olhos exatamente iguais.

O filme tem como tema a ciência versus a religião, sendo que nenhuma das duas recebe mais enfoque que a outra. A ciência não se sobressai sobre a fé, ou vice-versa, o que há de interessante é o destaque às duas linhas por meio de fatos científicos descobertos pelo Dr. Ian bem como alguns eventos que acontecem e poderiam ser esquematizados e mapeados, mas de uma maneira bem improvável, levando aqueles mais religiosos a crer que se tratam obras divinas.

Ficha Técnica
Diretor: Mike Cahill
Lançamento: 2014
Duração: 1 horas e 46 minutos
Classificação: 12
Gênero: Drama, Ficção Científica
País de Origem: Estados Unidos

Lucas Danrley Cajé de Souza








Animais Noturnos




“Animais Noturnos” é um filme duro e cauteloso sobre o amor, sobre vingança e sobre a divisão entre a vida e a arte. É, sem dúvida, enigmático, enervante, violento e definitivamente feito para deixar o público pensando sobre a história por um bom tempo.

Amy Adams interpreta Susan Morrow, uma negociante de artes infeliz com sua vida que, após receber uma novela – escrita pelo seu primeiro marido – começa a refletir sobre as suas memórias. O filme passeia por três histórias: o passado de Susan com seu ex-marido, sua vida atual e a dramatização do manuscrito recebido – tudo coberto por diversas camadas interpretativas. É importante ressaltar que a transição entre esses cenários é feita de maneira bastante meticulosa. Cada um dos ambientes possui uma fotografia característica do enredo que o envolve.

Logo nos primeiros minutos do filme, nos deparamos com uma das cenas mais angustiantes dos últimos anos. Trata-se do início do livro que intitula o filme. Aqui, vemos Tony Hastings (interpretado brilhantemente por Jake Gyllenhal) preparando uma viagem com sua esposa (Isla Fisher) e sua filha (Ellie Bamber) pelo Texas até que são surpreendidos em uma noite deserta por Ray (Aaron Taylor-Johnson) e alguns de seus companheiros de crime.

A obra de Tom Ford é indiscutivelmente tensa, brutal mas desenvolvida em torno da melancolia dos personagens. Explora bem os pesos das decisões que tomamos e a ligação entre o passado e o futuro. Desde os quinze minutos iniciais, o filme envolve qualquer um que o assista. Com certeza merece lugar entre os melhores filmes de suspense dos últimos tempos.


Ficha Técnica
Diretor: Tom Ford
Lançamento: 2012
Duração: 1 horas e 55 minutos
Classificação: 16
Gênero: Drama, thriller
País de Origem: Estados Unidos

André Igor Nóbrega da Silva

Dica de Música




Todas as Praias 




Jammil e Uma Noites é uma banda baiana criada em 1994, mas que só recebeu esse nome em 1997 com o convite da gravadora EMI para gravar seu primeiro álbum. Em 2002, a banda se tornou a primeira baiana a gravar um DVD e em 2011 o vocalista Tuca Fernandes decidiu seguir carreira solo, sendo substituído por Levi Lima, cantor atual do grupo.

O álbum “Todas as Praias” foi gravado em 2015 em comemoração aos 18 anos de história do grupo, contendo grandes sucessos como “Milla” e “Praieiro”, assim como a participação de conhecidos artistas brasileiros. A música “Gênio da Lâmpada” (gravada com a participação do grupo Pollo) e “O Melhor Pedaço” (participação de Bruno Cardoso da banda Sorriso Maroto) dão novas cores ao álbum. O artista baiano Saulo Fernandes também deixou sua participação na música “Cadarço, Sapato e Chiclete” que dá capa ao canal da banda no YouTube.

A gravação do DVD foi feita em dois lindos cenários praianos brasileiros: Maceió e Salvador. A primeira parte da produção foi gravada em uma festa náutica na Praia de Ponta Verde, em Maceió (AL) e a segunda (acústica) na Ponta do Humaitá, em Salvador (BA).


Ficha Técnica
Banda ou Artista: Jammil e Uma Noites
Gravadora: Som Livre
Lançamento: 18 de setembro de 2015
Gênero: Axé
País de Origem: Brasil

Caio Victor Aires Diniz





Dica de Série




Breaking Bad 



Independente do quanto uma pessoa seja interessada em séries, a chance é grande de já ter ouvido falar de Breaking Bad. Trata-se da obra ganhadora do prêmio “Globo de Ouro: Melhor Série Dramática de TV” em 2014 e figura entre as melhores séries de todos os tempos em quase todas as listas desse tipo.

A qualidade de Breaking Bad se inicia com o roteiro. Walter White (Bryan Cranston) é um professor de química com um passado acadêmico brilhante mas que ministra aulas em um colégio de ensino médio bem aquém do seu potencial. Depois de descobrir que sofre de um câncer terminal, ele decide começar a produzir e comercializar metanfetamina para tentar suprir todas as necessidades da sua esposa Skyler (Anna Gunn) e de seu filho Walter Jr. (RJ Mitte) – portador de uma leve paralisia cerebral.

Walter White é um homem que sempre viveu dentro da lei. Para acompanhá-lo nessa mudança repentina de realidade, ele pede ajuda a um ex-aluno seu, Jesse Pinkman (Aaron Paul) – um jovem problemático já envolvido no tráfico de drogas.

Além do roteiro muito bem escrito, uma das características mais marcantes da série é a evolução dos personagens. A cada um deles são associadas diversas camadas de interpretação, o que abre espaço para vermos o brilhantismo de atuação do elenco.

As quatro primeiras temporadas de Breaking Bad apresentam uma qualidade bem acima da média mas a quinta e última apresenta um dos melhores desfechos entre todas as séries de drama já escritas. São 16 episódios repletos de acontecimentos inesperados, de modo que a repercussão entre o público foi de grande sucesso.

Ficha Técnica
Criador: Vince Gilligan
Lançamento: 2008
Temporada corrente: 5 temporadas
Gênero: Drama, thriller, policial
País de Origem: Estados Unidos

André Igor Nóbrega da Silva




Dicas das Edições Anteriores





Comments