DICAS


 

20ª Edição

  
Dicas de Livro Dicas de Filme

 

Dicas de Livro

Noites Brancas

Um jovem vaga pelas ruas de São Petersburgo tendo a cidade por única companhia. Ela está imersa em uma das suas oníricas noites brancas, quando o sol não se põe completamente. Ele não tem nome, é apenas o “sonhador”, um homem arredio e perturbado que conhece a cidade como a uma velha amiga.

Em meio ao total exílio, um encontro casual une o “sonhador” a Nastenka, uma bela e ingênua jovem que chorava os seus sonhos despedaçados em uma ponte sobre o rio Nievá. Seguem, então, quatro fantasiosas noites de conversa: uma longa confissão entre desconhecidos sob o compromisso de não ultrapassar os limites da amizade. Mas onde se estabelece a fronteira entre amizade e amor?

Noites Brancas é sobre a solidão das grandes cidades, sobre as cruéis imposições da vida que não se pode ignorar. Uma obra curta pertencente à fase romântica de Dostoiévisk, sem toda a sua densidade realista e ainda assim admirável.

E as pessoas abanam a cabeça e murmuram: “Como os anos passam depressa!” E perguntam ainda: “Que fizeste durante esse tempo? Chegaste realmente a viver ou não?” “Olha”, dizemos para nós mesmos, “repara que frio faz neste mundo. Basta que passem mais uns anos para que chegue a espantosa solidão, a trêmula velhice que traz consigo a tristeza e a dor. O teu mundo fantástico há de perder então as suas cores, murcharão e morrerão os teus sonhos, e, como as folhas amarelas que tombam das árvores, também eles se desprenderão de ti...” (trecho do “sonhador”)

Paola P. Furlanetto

A Estrada da Noite

Mais cedo ou mais tarde os mortos nos alcançam... É com essa mensagem que Joe Hill alerta sobre a Estrada da Noite, um dos livros mais comentados no ano de 2007 e que esteve na lista dos mais vendidos do New York Times.

Judas Coyne é um roqueiro de 54 anos que coleciona objetos macabros e namoradas góticas. A morte sempre o rondou, e ela se torna presente quando ele decide comprar um fantasma pela internet. Porém, o que parecia brincadeira se mostra real e ameaçador, Judas descobrirá que sua vida e a de todos que estão próximos corre perigo.

Fugindo de algo que ele não sabe como encarar, Judas se lançará em uma corrida desenfreada na luta pela sobrevivência e terá que enfrentar, não só o velho morto que lhe persegue, como também os fantasmas de seu passado - o pai violento, as namoradas que usou e descartou, os ex-colegas de banda mortos.

Usando a morte, violência, drogas e sexo como fatores de construção psicológica dos personagens, A estrada da Noite possui um trama ágil e envolvente que revela as motivações dos vivos e dos mortos. Um livro ideal para quem gosta de suspense e de terror.

Thyago Sá

 

Dicas de Filme

O Concerto

Na época do governo de Brejnev, Andrei Filipov, no topo de sua carreira, era um dos maiores maestros da União Soviética e dirigia a renomada Orquestra de Bolshoi. Porém, após ter se recusado a expulsar da Orquestra os músicos judeus, Andrei foi demitido. Trinta anos depois, trabalhando como faxineiro no Teatro de Bolshoi, surge para ele uma oportunidade de recuperar sua carreira. Enganando a verdadeira Orquestra de Bolshoi, Andrei precisa montar uma orquestra em 15 dias para se apresentar em lugar da verdadeira, e ele fará o que for necessário para reger seu concerto de Tchaikovsky, trinta anos atrás arruinado.

O filme gira em torno da preparação para o concerto, o que envolve a convocação dos músicos – especialmente da violinista solista Anne-Marie Jacquet, a viagem para Paris e as complicações com a Orquestra de Bolshoi.

O diretor (Radu Mihaileanu) faz uma homenagem à dignidade russa após o fim da União Soviética, pois ele cria, satiricamente, uma visão estereotipada dos eslavos, mostrando-os como embriagados e irresponsáveis, para depois revelar toda a beleza e a recuperação de sua cultura, tão ridicularizada pelo Ocidente.

Radu consegue atribuir ao filme um clima sério, porém descontraído, e isso, entre outras coisas, aliado a um roteiro bem trabalhado e um final surpreendente, rendeu-lhe indicação a quatro prêmios César, dos quais ganhou o de Som e de Trilha Sonora, além da indicação ao Globo de Ouro de Melhor Filme me língua não inglesa.

Arthur Araújo

Código de Conduta

“Código de Conduta” é um filme intrigante e inteligente que propõe discussões sobre o sistema de justiça dos Estados Unidos. Com cenas de violência realista, a trama narra a história de Clyde (Gerard Butler), um dedicado pai de família que vê sua esposa e filha serem torturadas até a morte. Como se não bastasse, os culpados são libertados pelo governo americano graças a um acordo feito pelo promotor Nick (Jamie Foxx).

Anos após o assassinato, o responsável pelo crime é encontrado morto e Clyde é acusado de tê-lo cometido, mesmo sem provas. Dono de uma incrível inteligência e com desejo de vingança, seu único objetivo é denunciar o corrupto sistema judicial, nem que para isso tenha que matar todos os envolvidos, um a um.

A questão é: Como o promotor poderá impedi-lo de realizar sucessivos crimes se Clyde já se encontra em um presídio de segurança máxima?

Priscila Dias Pereira

 

Dicas das Edições Anteriores

1ª Edição

2ª Edição

3ª Edição

4ª Edição

5ª Edição

6ª Edição

7ª Edição

8ª Edição

9ª Edição

10ª Edição

11ª Edição

12ª Edição

13ª Edição

14ª Edição

15ª Edição

16ª Edição

17ª Edição

18ª Edição

19ª Edição