DICAS



Dicas de Livros Dicas de Filmes Dica de Música Dica de Série

 

Dicas de Livros




Mau Começo



“Se vocês se interessam por histórias com final feliz, é melhor ler algum outro livro. Vou avisando, porque este é um livro que não tem de jeito nenhum um final feliz, como também não tem de jeito nenhum um começo feliz, e em que os acontecimentos felizes no miolo da história são pouquíssimos”. Assim se inicia o livro “Mau Começo”, primeiro dos 13 livros que compõem “Desventuras em Série”.

Ele conta a triste história dos irmãos Violet, Klaus e Sunny Baudelaire que, após perderem seus pais num incêndio, se encontram sob os cuidados do nada preparado Sr. Poe. Ele os direciona para o Conde Olaf, responsável por transformar a vida das crianças num pesadelo ainda maior.

A narração é feita em primeira pessoa, como se o autor fizesse parte da história, algumas vezes sendo um pouco intrometido e sempre opinando sobre o quão melhor seria se a leitura fosse interrompida, principalmente para diminuir as esperanças do leitor quando o rumo dos Baudelaire indicasse uma melhora.

Além disso, o escritor considera que o leitor possui um vocabulário limitado, se propondo a explicar o significado de um termo menos usual quando este é utilizado, algumas vezes por meio dos próprios personagens, que são dotados de um conhecimento extraordinário, para esse fim.

As crianças são outra razão para se seguir o conselho dado pelo narrador. Você estaria interessado em conhecer Violet, uma menina que aos 14 anos de idade já é uma grande inventora, ou Klaus, que com seus 12 anos já leu diversos livros e nunca se esquece de uma frase deles, ou mesmo Sunny, um bebê ainda de colo mas com dentes afiadíssimos e mordida super forte e uma inteligência que não se limita aos seus balbucios, sempre traduzidos para o leitor? Provavelmente não.

Por fim, outra razão para não se ler tal livro é o vilão. O Conde Olaf é um ator membro de uma companhia de teatro composta por criminosos que sempre utiliza disfarces e realiza planos mirabolantes para atingir fins algumas vezes simples, mas sempre com o objetivo final de obter a riqueza herdada pelos irmãos após a morte de seus pais. São tantas razões para não se ler esses livros que eles acabaram sendo também retratados num filme e mais recentemente num seriado, unicamente com a finalidade de aumentar sua lista de obras a serem evitadas.

Ficha Técnica
Autor: Lemony Snicket
Editora: Companhia das Letras
Edição:
Páginas: 152
Gênero: Mistério e Steampunk
País de Origem: Estados Unidos

Giuseppe Di Giuseppe Deininger





Crime e Castigo




O russo Fiódor Dostoiévski foi um dos autores mais emblemáticos e controversos do século XIX, sua obra influenciou grandes pensadores e mudou o rumo da literatura e do pensamento moderno. Em 1866, o escritor publicou a obra “Crime e Castigo”, um de seus trabalhos capitais, e mostrou ao mundo uma análise profunda e detalhada da redenção da consciência pelo sofrimento, do crime e da necessidade da alma que busca pela expiação dos pecados.

A obra conta a história de Raskólnikov, um estudante burguês com a mente cheia de leituras mal digeridas, sentindo-se capaz para realizar grandes coisas para tornar-se, afinal, alguém útil aos semelhantes. O rapaz, que caracteriza os outros em ordinários e extraordinários, sendo grande admirador de Napoleão Bonaparte, passa a acreditar que está destinado a grandes feitos, mas sua condição financeira o impossibilita de atingir tal objetivo. Então, assim como seus heróis que não mediam esforços para o “bem maior”, o personagem comete o assassinato de uma velha agiota e sua irmã, Lizavieta, que moravam no prédio do estudante, e rouba algumas joias e dinheiro.

O principal ponto da obra é o sofrimento e a condição psicológica de Raskólnikov após cometer o crime. Apesar de não demonstrar remorso ou arrependimento, a sua consciência passa a acusá-lo e a questionar os reais motivos da atitude. Seria realmente para o bem que cometera o mal? Inicia-se então a terrível angústia do personagem e a luta com a sua alma. Já não suportando mais o peso da culpa, passa a fornecer, de forma inconsciente, pistas à polícia de que era o verdadeiro assassino das mulheres. Neste momento, intervém Sônia, uma prostituta infeliz com sua condição, que passa a representar para o estudante a possibilidade de redenção e remissão dos pecados cometidos. A única vez em que realmente sentira amor na vida, Sônia é a luz para Raskólnikov, fazendo-o largar seu niilismo e buscar a paz e a regeneração moral.

A filosofia de Nietzsche está quase inteiramente representada no romance, a relação do niilismo com o personagem principal, a supremacia da vontade e a criação do “Super-Homem” são as motivações para o crime de Raskólnikov. Dostoiévski parece colocar sobre a obra toda a sua culpa e arrependimento decorridos de sua prisão na Sibéria. No fim, assim como para o autor, aparece a oportunidade de redenção, o castigo desejado pela consciência, a oportunidade de reencontrar o sentido para viver.

Crime e Castigo é sem dúvida uma das principais obras do século XIX, a história da vida de Raskólnikov é triste e ao mesmo tempo libertadora. Com seu estilo de escrita e representação de sentimentos, Dostoiéviski é capaz de arrancar lágrimas de uma estátua. O brilhantismo do autor demonstrado na obra justifica a importância que seus escritos têm para toda a literatura mundial.

Ficha Técnica
Autor: Fiódor Dostoiévski
Editora: Martin Claret
Edição:
Páginas: 591
Gênero: Romance
País de Origem: Rússia

José Iuri Barbosa de Brito


Dicas de Filmes



Alcatraz – Fuga Impossível



Em 1962, Frank Lee Morris e outros dois presos fugiram da prisão de segurança máxima Alcatraz. Essa história verídica é contada com muito suspense pelo filme dirigido por Don Siegel e estrelado por Clint Eastwood no papel de Morris.

Frank Morris foi preso por assaltos a bancos e já havia fugido de várias prisões. Após ser detido em Alcatraz, conquistou várias amizades, três em especial: Allen West (no filme foi chamado de Charley Butts e interpretado por Larry Hankin) e os irmãos John e Clarence Anglin (interpretados por Fred War e Jack Thibeau). Por muitos anos, Alcatraz foi famosa por várias tentativas de fuga sem sucesso, a prisão ficava em uma ilha e os que tentavam fugir ou eram flagrados ou morriam afogados na baía.

O enredo do filme foi muito bem construído com base nos fatos que surpreenderam a população dos Estados Unidos na década de 60. Após a fuga, Frank Morris desapareceu e o presídio foi fechado. O filme estreou 17 anos depois, eternizando a história do escape mais famoso das penitenciárias americanas, que deu a Morris a reputação de “cérebro das fugas”.

Ficha Técnica
Diretor: Don Siegel
Lançamento: 1979
Duração: 1 horas e 52 minutos
Classificação: -
Gênero: Suspense, Ação
País de Origem: Estados Unidos

Ellen Ribeiro Lucena








A Cabana




Lançado em 2007 por William P. Young, A Cabana é um livro de verdadeiro sucesso após atingir mais de 10 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo. Devido a tamanho prestígio, o livro foi adaptado para o cinema, trazendo ótimos resultados de bilheteria.

O filme conta a história emocionante de Mackenzie, um pai de família que perde sua filha mais nova em um acampamento. O corpo da menina nunca foi achado, mas há evidências encontradas em uma cabana de que ela teria sido violentada e assassinada. É a partir desse momento que a história realmente começa.

Anos após a tragédia, em uma manhã de inverno rigoroso, Mack – como era chamado pelos mais íntimos – vai até a caixa de correio e abre uma correspondência, em que no seu conteúdo há um convite misterioso para ele retornar ao local do desastre, onde ele receberá uma lição de vida. Inacreditavelmente, o remetente está intitulado por “Papai”, modo carinhoso de sua esposa e seus filhos se referirem a Deus, a quem ele guardava um sentimento de raiva.

Mesmo com medo e apesar de ter relutado um pouco, Mack chega ao local e depara-se com três pessoas – um homem e duas mulheres –, as quais representam Deus (pai, filho e espírito santo). Deus havia o chamado ali para responder-lhe uma pergunta que está na cabeça da maioria de nós, e que nos faz identificar um pouco com o personagem: “Se Deus realmente existe e se ele ama cada um de nós, porque deixa tantas tragédias acontecerem?”

A trama aborda o tema religião de forma bastante sutil, nada agressiva. Nela passamos a conhecer os verdadeiros valores que o mundo precisa para tornar-se um lugar melhor, entendemos que devemos amar e aprender a perdoar o próximo, reconhecer que Deus está sempre conosco e aceitar que nem tudo acontece sempre da maneira como esperamos, pois assim como afirma o seguinte provérbio “há males que vem para o bem”.


Ficha Técnica
Diretor: Stuart Hazeldine
Lançamento: 3 de março de 2017
Duração: 2 horas e 12 minutos
Classificação: 12 anos
Gênero: Drama
País de Origem: Estados Unidos

Heloísa Ramos Mendes

Dica de Música




Todas as Praias 




Jammil e Uma Noites é uma banda baiana criada em 1994, mas que só recebeu esse nome em 1997 com o convite da gravadora EMI para gravar seu primeiro álbum. Em 2002, a banda se tornou a primeira baiana a gravar um DVD e em 2011 o vocalista Tuca Fernandes decidiu seguir carreira solo, sendo substituído por Levi Lima, cantor atual do grupo.

O álbum “Todas as Praias” foi gravado em 2015 em comemoração aos 18 anos de história do grupo, contendo grandes sucessos como “Milla” e “Praieiro”, assim como a participação de conhecidos artistas brasileiros. A música “Gênio da Lâmpada” (gravada com a participação do grupo Pollo) e “O Melhor Pedaço” (participação de Bruno Cardoso da banda Sorriso Maroto) dão novas cores ao álbum. O artista baiano Saulo Fernandes também deixou sua participação na música “Cadarço, Sapato e Chiclete” que dá capa ao canal da banda no YouTube.

A gravação do DVD foi feita em dois lindos cenários praianos brasileiros: Maceió e Salvador. A primeira parte da produção foi gravada em uma festa náutica na Praia de Ponta Verde, em Maceió (AL) e a segunda (acústica) na Ponta do Humaitá, em Salvador (BA).


Ficha Técnica
Banda ou Artista: Jammil e Uma Noites
Gravadora: Som Livre
Lançamento: 18 de setembro de 2015
Gênero: Axé
País de Origem: Brasil

Caio Victor Aires Diniz





Dica de Série




Doctor Who 



Em 23 de novembro de 1963, estreava a série de ficção científica que se tornaria a mais longa e famosa série do gênero, Doctor Who. Teve sua gravação parada em 1989 e retornou em 2005 com a inovadora trama de Steven Moffat (também roteirista da série “Sherlok”).

A série cria uma nova realidade facilmente adotada pelo espectador. Alienígenas não apenas existem, também têm suas próprias organizações sociais, aparências distintas e motivos para guerra. É nesse cenário que a Terra torna-se protagonista; ela é constantemente atacada por diferentes povos interessados em estudar a cultura, dominar a humanidade por considerá-la inferior, ou simplesmente exterminá-la por maldade. E em cada uma dessas situações, o Doutor é quem luta pelo planeta, cuidando para que os alienígenas não obtenham sucesso em seus ataques e ainda para que os seres humanos não descubram a existência desses outros povos (tal descoberta seria muito perigosa para seres tão egocêntricos e alarmados).

O principal personagem tem aparência humana, mas é da espécie dos Senhores do Tempo. Ainda criança, ele escolhe um nome simbólico que seria uma promessa por toda a vida, “Doutor”. Seu verdadeiro nome não é revelado em nenhum momento da série, apesar da pergunta recorrente “Doutor quem?” (que dá nome ao programa), ser feita por todos que escutam “o Doutor” como resposta a “quem é você?”.

Em todas as temporadas, o Doutor recebe ajuda de outros, sejam alienígenas ou seres humanos, em especial, de seus acompanhantes, que são muitíssimo estimados por ele. Especialmente porque o Senhor do Tempo diz não poder viajar sozinho por ter uma natureza má que, apesar de estar quase sempre sobreposta por seu bom temperamento e obras de salvação na Terra, pode dominá-lo em momentos de angústia e solidão.

Apesar de, em um primeiro contato, parecer uma narrativa de certa forma boba e exagerada, ela é na verdade muito cheia de críticas à humanidade e ressalta, de maneira singular, o caos para o qual caminha toda a natureza. Cada viagem do Doutor com seus acompanhantes, tanto para o futuro, quanto para o passado, revela uma nova história, nova crítica, estranhos personagens e muitos encantos.

Ficha Técnica
Criador: Sydney Newman / C. E. Webber / Donald Wilson
Lançamento: 23 de novembro de 1963
Temporada corrente: 26 (1963 - 1989); 10 (2005 – atualmente)
Gênero: Ficção Científica / Drama
País de Origem: Reino Unido

Ellen Ribeiro Lucena




Dicas das Edições Anteriores